terça-feira, 31 de maio de 2011

Pelos campi da UFSJ

Edição 559 do Jornal da Universidade
A edição 559 do Jornal da Universidade será veiculada apenas pela Internet. 
Para lê-la , o internauta deve acessar o link http://www.ufsj.edu.br/jornal/559 .
Confira os destaques :
. Restaurante Universitário fica pronto em julho
. Anunciadas as primeiras atrações do 24º Inverno Cultural
. Cine PET aproxima comunidade da UFSJ
. Projeto resgata saberes da cultura afro-brasileira
....................................................................................................................

Da esquerda para a direita, o presidente da Fundação de Apoio à Universidade (Fauf), Jucélio Luiz de Paula Sales; a vice-reitora, Valéria Heloísa Kemp; o reitor da instituição, Helvécio Luiz Reis; o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UFSJ, Marcos Vieira Silva e o pró-reitor interino de Extensão e Assuntos Comunitários, Alberto Ferreira da Rocha Junior

Primeira coletiva do Inverno Cultural

Na última quarta-feira, 25 de maio, foi realizada a primeira coletiva de imprensa do 24º Inverno Cultural da Universidade Federal de São João del-Rei.
A mesa foi composta pelo presidente da Fundação de Apoio à Universidade (Fauf), Jucélio Luiz de Paula Sales; pela vice-reitora, Valéria Heloísa Kemp; pelo reitor da instituição, Helvécio Luiz Reis; pelo pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UFSJ, Marcos Vieira Silva, e pelo pró-reitor interino de Extensão e Assuntos Comunitários, Alberto Ferreira da Rocha Junior, que anunciaram os principais eventos do Inverno Cultural deste ano e esclareceram dúvidas dos jornalistas.
Para assistir aos vídeos acesse o link www.ufsj.edu.br/ascom/videos.php

Oficinas no Inverno Cultural

Inovações marcam o Inverno Cultural em 2011

Uma série de inovações visando a melhorias e a facilitar a participação popular na 24ª edição do projeto Inverno Cultural da UFSJ foram postas em prática. Dentre elas, renovações nas redes de divulgação e no caráter temático do evento.

Neste ano, o projeto contará com 1148 vagas distribuídas entre 56 oficinas de Artes Cênicas, Música, Literatura, Arte-Educação, Artes Plásticas, Especiais e Artes Visuais. O tema “Sentidos do Corpo” é uma renovação. Desde o ano passado, a organização do evento passou a ter como temática não um só personagem, que recebia homenagens durante todo o evento, mas um tema em si. A escolha deste ano, segundo o reitor Helvécio Luiz Reis, foi feita, pois é através dos nossos sentidos do corpo que todo sentimento se aflora e, por ser um tema ambíguo, propicia diversas expressões.

Após pesquisa para diagnosticar qual o meio pelo qual as pessoas mais tomavam conhecimento sobre o IC, o resultado foi o site do evento. Para tanto, neste ano, a página passou por renovações, que tornarão o acesso mais eficaz para obtenção de informações. Além do maior aproveitamento das redes sociais para divulgação, os responsáveis pela página virtual do evento facilitaram o processo de busca para os pais que quiserem inscrever seus filhos em oficinas especiais. Neste ano, será disponibilizado um link para busca específica de oficinas infantis.

Partindo da idéia dos projetos de extensão, que é a relação entre academia e comunidade externa, os alunos de Artes Aplicadas da UFSJ pleitearão uma proposta inovadora. Denominada como “Empty Bowls”, a iniciativa internacional propõe um caldo, a ser oferecido pela coordenadoria de Artes Plásticas do IC no Salão Nobre da Associação Comercial, em dois dias do evento. Os participantes pagarão e receberão um recipiente desenvolvido pelos alunos do curso de Artes Aplicadas da UFSJ. O dinheiro arrecadado será convertido para entidades assistenciais.

Fugindo do cerimonial padrão, onde o Inverno Cultural tinha como abertura um cortejo que percorria todo o centro de São João del-Rei, nesta 24ª edição ele ocorrerá no penúltimo dia do evento. Tal mudança se deve ao fato de o primeiro dia do IC ser 16 de julho, dia de Nossa Senhora do Carmo, e diversas festividades estarão acontecendo na cidade ao mesmo tempo, o que já é um espetáculo à parte para os turistas que estarão prestigiando as apresentações.

Naná - divulgação

Inverno Cultural terá 56 oficinas com 1148 vagas

Naná Vasconcelos e Babilak Bah ministrarão oficinas no festival

Nada menos que 56 oficinas com 1.148 vagas serão oferecidas no 24° Inverno Cultural da UFSJ. O interessado poderá optar pelas áreas de Artes Cênicas, Música, Literatura, Arte-Educação, Artes Plásticas, Especiais e Artes Visuais.
As inscrições serão nos dias 27 e 28 de junho, para as áreas de arte-educação e especiais, e do dia 29 ao dia 1° de julho para todas as demais. O horário de funcionamento será das 8h30min às 13h30min e acontecerá no Campus Santo Antônio - Saguão da Procuradoria Jurídica - (antigo saguão da FAUF). A taxa de inscrição varia de 15 a 20 reais. Mais informações pelos telefones (32) 3379.2503 / (32) 3379.2510. Para interessados que não residem em São João del Rei, devem seguir os procedimentos abaixo:
• Ligar para o tel/fax (32) 3379-2506 de 17h30 às 18h30, verificar se há vaga na oficina e fazer uma pré-reserva.
• Efetuar o depósito do valor da inscrição:
Banco do Brasil
Agência: 0162-7
Conta Corrente: 21.452-3
Para crédito de FAUF (Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-Rei)
• Encaminhar o Comprovante de Depósito via fax até às 13h30 do dia seguinte à pré-reserva, quando será efetivada a Inscrição.
Destaques
Essa edição do Inverno Cultural contará com nomes de peso nas oficinas. Como Naná Vasconcelos, percussionista de grande referência no Brasile no exterior, Barbatuques, que é um grupo reconhecido por fazer música com sons produzidos pelo próprio corpo e Babilak Bah, famoso músico conhecido por fazer música com enxadas.
A lista completa com todas as oficinas pode ser encontrada no site do Inverno Cultural http://www.invernocultural.com/. O guia impresso das oficinas será distribuído a partir do dia 17 de junho em todas as portarias dos campi da UFSJ.

Sai o resultado do festival pop & rock do 24° Inverno Cultural


A comissão avaliadora do Festival de Música Pop & Rock, formada pelos professores Vladmir Cerqueira, Guilherme Vincens e Gedley Braga, selecionou as seis bandas que irão se apresentar no 24° Inverno Cultural da UFSJ. Os shows de abertura terão a duração de trinta minutos, e os principais de uma hora. As atrações acontecerão no palco do Inverno Cultural, na Avenida Presidente Tancredo Neves, no centro de São João del Rei conforme o resultado abaixo:
Dia 24/07 – 22h
Abertura- BLEFFE (Além Paraíba - MG)
Principal- FALCATRUA (Belo Horizonte - MG)
Dia 25/07 – 22h
Abertura- WILLY COYOTE (São João del Rei - MG)
Principal- CECÍLIA BRAVO (Lavras - MG)
Dia 26/07 – 22h
Abertura- UDORA (Belo Horizonte - MG)
Principal- ALDORA (São Paulo - SP)
..............................................................................

Debate sobre Consórcio na UFSJ

Reitor retoma debate sobre Consórcio na UFSJ

Na próxima reunião do Conselho Universitário (Consu), o reitor Helvécio Reis apresentará o calendário das três reuniões de debate com as comunidades dos campi fora de sede sobre o Consórcio das Universidades Federais do Sul e Sudeste de Minas Gerais, retomando, assim, a discussão do tema no âmbito da UFSJ.

No ano passado, a Reitoria da UFSJ promoveu um debate no Campus Dom Bosco, com a participação da comunidade acadêmica de São João del-Rei. No momento, a Reitoria da UFSJ está conclamando as entidades representativas dos segmentos docente, técnico-administrativo e estudantil a promoverem debates sobre o tema.
Também na próxima reunião do Consu, o reitor vai propor a criação de uma comissão deste Conselho para analisar o Plano de Desenvolvimento Institucional do Consórcio (PDIC). O documento está disponível no endereço www.ufsj.edu.br/reitoria/consorcio_universidades.php . As sugestões da comunidade da UFSJ ao Consórcio e ao seu PDIC devem ser enviadas pelo e-mail soces@ufsj.edu.br.

Lavras
O reitor Helvécio Reis e a vice-reitora Valéria Kemp participaram, no último dia 23, em Lavras (MG), de reunião com a presença de dirigentes das sete universidades que debatem o Consórcio, que são as federais de Lavras (UFLA), de Alfenas (UNIFAL), de Itajubá (UNIFEI), de Juiz de Fora (UFJF), de Ouro Preto (UFOP), de São João del-Rei (UFSJ) e de Viçosa (UFV).

Depois da palestra de abertura, o secretário nacional de Educação Superior, Luiz Cláudio Costa, anunciou que o Ministério da Educação disponibilizará R$ 20 milhões para o início das atividades do Consórcio. A verba servirá para mobilidade acadêmica, principalmente estudantil, e a instalação do corredor cultural. O MEC encaminhará também junto ao Governo Federal a incorporação, para o Consórcio, do patrimônio federal existente na cidade de Caxambu (MG), a 170 quilômetros de São João del-Rei, comprometendo-se o Secretário a disponibilizar recursos adicionais para a montagem de um centro de excelência internacional em pesquisa e a sede administrativa do consórcio.

No evento, os participantes da reunião também receberam a versão final do Plano de Desenvolvimento Institucional do Consórcio, que agora será enviado ao conselho máximo superior de cada instituição para as deliberações quanto à adesão das universidades no consórcio.
...........................................................................


UFSJ integra pesquisa mundial sobre empreendedorismo

Participantes concorrem ao sorteio de 5 iPads e 5 iPods

A multinacional Ernst & Young, juntamente com a Universidade Nove de Julho, está patrocinando uma pesquisa internacional sobre a capacidade empreendedora dos estudantes brasileiros. A pesquisa, intitulada Global University Entrepreneurial Spirit Students’ Survey (GUESSS), tem por objetivo caracterizar as atividades e intenções empreendedoras de estudantes universitários de todas as instituições de ensino superior, bem como as condições de ensino e apoio a essas atividades em outras regiões do mundo.

No Brasil, a pesquisa será supervisionada pelo professor Edmilson Lima, pesquisador de renome nacional na área de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas e Médias Empresas. Os dados coletados servirão de base para a melhoria das práticas de ensino e das políticas de formação de futuros empreendedores. O estudo GUESSS Brasil (http://guesssbrasil.org) conta com a participação de 42 universidades. O representante da UFSJ no comitê brasileiro é o professor Pablo Luiz Martins, do Departamento de Ciências Administrativas e Contábeis (Decac).

O questionário, que pode ser respondido até o dia 15 de junho, está disponível em http://n.contaxt.net/nctxa/if0?look1=static-ctxs111-u-9-LinkWithName-GUESSS-2011-BRAZIL. Há também material pedagógico gratuito para professores em http://guesssbrasil.org/beneficios-para-os-professores/.

O GUESSS foi realizado inicialmente por pesquisadores da Universidade St. Gallen, Suíça, em 2003. Em sua última edição (2008), foi realizado em 19 países, da qual participaram 65 mil estudantes. Na edição 2011, estarão envolvidos mais de 25 países, com a perspectiva de mais de 100 mil participantes.

Mais informações: pablo@ufsj.edu.br.

(Fonte: Assessoria de Comunicação da UFSJ - Campus Santo Antônio)

domingo, 29 de maio de 2011

Monotipia em destaque

A artista plástica, Inez Soares
A pedagoga e artista plástica, Inez Soares,  nasceu em Barra Mansa (RJ), mas, há algum tempo reside em Niterói (RJ).
Casada e com dois filhos adultos, diz que a arte e a educação sempre fizeram parte de seu projeto de vida.
Inez Iniciou nas artes fazendo aquarela, tendo sido sua primeira individual em 1988. 
O papel é seu suporte preferido, já tendo feito colagravura e serigrafia. 
A partir de um curso feito em 1990, as monotipias se incorporaram aos seus trabalhos.

O que é monotipia? 
Monotipia é uma técnica de impressão de estampa única, que geralmente se obtém pintando a imagem sobre uma placa, em geral de vidro e sobre esta imprimindo o papel. As marcas obtidas têm características diferentes do desenho ou pintura feitos diretamente sobre o papel. Esse trabalho exclui um dos principais propósitos de fazer impressão, que é obter múltiplas cópias de uma única imagem.
 
Quais os materiais usados nesse tipo de arte? 
Quando  estou trabalhando sobre papel, uso tinta tipográfica, materiais que tenham textura e muitas vezes os rolos de vinil (quando  é conveniente retirar a imagem de algum objeto ou material que tenha textura para depois transferi-la para o papel) . Quando trabalho sobre tela, uso a tinta acrílica ou a óleo.

 Por que esta escolha? 
Considero que está técnica, além de ser muito livre e instigante,  produz resultados diferentes dos que são obtidos pela linguagem pictórica tradicional. Geralmente  meu trabalho não é só uma monotipia. Vou interferindo e transformando o que acho mais conveniente para um melhor resultado.

 Você se sente realizada nas artes plásticas? 
A arte é uma paixão.  Citando Fayga Ostrower, sinto que “a arte continua sendo uma necessidade para os homens, caminho essencial de conhecimento e realização de vida.”
Não consigo dizer que já estou realizada: estou a caminho, pois enxergo que posso progredir muito mais além do que já fiz e é isso me impulsiona a novas buscas.
 
Fale sobre o seus  trabalhos atuais 
Acredito que um trabalho não é feito só de técnicas, mas sim de experiências e intuições que abrem um caminho de interesses durante a elaboração da obra.  Sinto fascínio pelo cruzamento de técnicas.  Atualmente estou desenvolvendo uma série, que chamei de "Conexão", em que inicio com uma impressão  e sigo criando interesses, fazendo superposições com tinta acrílica, ora mais líquida, ora mais espessa, para chegar ao resultado desejado.
 
Você dedica muitas horas dos seus dias à arte? 
Apesar de ser  constante, costumo dizer que sempre dedico menos tempo do que eu gostaria, pois realizo também um trabalho pedagógico junto aos operários de uma empresa de Construção Civil, além de outros afazeres do dia a dia. Quando tenho oportunidade, coordeno oficinas da técnica, fora, ou em meu atelier.
 
Onde encontrar seus trabalhos? 
Neste ano já realizei uma exposição individual e tenho participado de coletivas, mas tenho sempre novidades em meu atelier.

Alguns trabalhos de Inez

Fragmentos - Monotipia com interferência - 25x40cm

Da série "Entre Fios e Tramas" - Monotipia IV - 15x15cm
Entre Fios e Tramas - Monotipia I - 15x15cm
Alguns trabalhos da série "Conexão"

 
 
 
 Para conhecer mais trabalhos de Inez Soares, visite seu atelier
 Estrada Caetano Monteiro, 868, Pendotiba, Niterói (RJ)
inezsoares@terra.com.br

Inez Soares em São João del-Rei (MG), por ocasião do Inverno Cultural, onde ministrou oficina de Monotipia

Literatura Bordada...

De 27 de maio a 26 de junho, São Francisco Xavier (SP) recebe um grupo de mulheres talentosas e de mãos abençoadas, para uma belíssima exposição...
Delicados trabalhos em bordado farão parte da mostra, compondo o tema 
"Contos e Pontos"
São Francisco Xavier é uma charmosa cidadezinha de montanhas, distante de São Paulo (SP), uns 200km.
Quem mora na majestosa cidade da garoa ou estiver a passeio pela região, deve prestigiar o evento...
Local e horário de funcionamento, no cartaz.
Recomendo...

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Recomendo


Rua Santo Antônio

Rua Santo Antônio
Conhecida como "a rua das casas tortas", pela incrível arquitetura secular de algumas construções, a Rua Santo Antônio é uma das mais antigas de São João del-Rei.
O nome teve origem à partir da edificação de pequena capela, por volta de 1778.
Estudiosos afirmam que, escravos, tiveram ali seus casamentos oficiados.
A rua recebe iluminação elétrica através de lampiões coloniais, livres de postes e fios, transformando-se em um ponto de atração turística...
Uma belíssima viagem ao passado!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Inverno Cultural

Anunciadas as primeiras atrações do 24º Inverno Cultural

Seu Jorge, Elza Soares, Jorge Ben Jor, Kid Abelha e Capital Inicial já estão confirmados

A relação das 56 oficinas do 24º Inverno Cultural já está disponível no site do maior evento artístico-cultural da Universidade Federal de São João del-Rei. São quase 1,5 mil vagas distribuídas em sete áreas de atuação: Artes Cênicas, Música, Literatura, Arte-Educação, Artes Plásticas, Especiais e Artes Visuais. Pois o evento – que marca, nas palavras da vice-reitora Valéria Kemp, “a apoteose da extensão universitária” – reafirma seu caráter generalista, multifacetado e abrangente, jogando “com a infinidade de sentidos que o corpo assume para instigar o dinamismo de nossa cultura”, como se pode ler no texto que apresenta o festival.

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta quarta, 25, no Solar da Baronesa, foram anunciadas as primeiras atrações da edição 2011 do Inverno Cultural. Presentes à mesa, o reitor Helvécio Luiz Reis, a vice-reitora Valéria Kemp, o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários, professor Marcos Vieira Silva, o pró-reitor interino e coordenador geral do evento, professor Alberto Tibaji, e o diretor administrativo da Fundação de Apoio à UFSJ, Jucélio Luiz de Paula Sales.

A expectativa vinha da curiosidade geral em torno dos grandes shows, mantidos em absoluto segredo até então. Depois de historiar a feliz trajetória de crescimento do festival, o reitor Helvécio, solenemente, anunciou: Kid Abelha, 16 de julho; Capital Inicial, 22; Seu Jorge, dia 23; Elza Soares, 29; e Jorge Ben Jor, encerrando a programação, no dia 30. O local será divulgado posteriormente, por uma questão de logística da montagem dos palcos que esses shows vão exigir.

O tema desta edição, Sentidos do Corpo, traz à cena a materialidade e a sensibilidade corpórea como manifestação sinestésica da expressão artística, seja ela subjetiva ou referencial. “Essa ambivalência traduz o sentimento puro que sempre moveu a realização do Inverno Cultural”, destacou o reitor Helvécio.

Diálogo
Segundo Alberto Tibaji, todas as principais atrações desta edição conversam de maneira estreita com a temática do festival. Esse diálogo sui generis enseja a realização de ações culturais importantes, que favorecem a troca de experiências entre atores locais e artistas de renome internacional, desenhando propostas inusitadas de experimentação artística. Como The Imagine Render Group, idealizador do The Empty Bowls Project, propõe aos alunos do curso de Artes Aplicadas: a modelagem e a manufatura de tigelas artesanais de cerâmica, que serão usadas em manifestações de conscientização sobre o problema da fome na região do Campo das Vertentes. E como o Hip Hop Del Rei, o Inverno Radical e o Roteiro Gastronômico vêm fazendo desde edições passadas.

A estratégia de associar eventos e oficinas norteou a montagem do calendário de eventos. Juvenal de Holanda Vasconcelos, ou Naná Vasconcelos, considerado o melhor percursionista do mundo pela revista Down Beat, vai ministrar um workshop que, já se sabe, será concorridíssimo. Conhecido pelo experimentalismo, a fama internacional não o afastou de suas raízes. Sinfonia & Batuques, seu mais novo trabalho, foi gravado no Recife, com arranjos de Carlinhos Borges, César Michiles e do próprio Naná.

A Cia. de Dança Débora Colker, com sua linguagem multidisciplinar, chega a São João com o espetáculo Tatyana, baseado no romance Eugene Onegin (1832), do russo Alexander Pushkin. No elenco, bailarinas que fazem parte do projeto social que Débora coordena em sua escola de dança na Glória. O título da montagem faz referência a um dos principais personagens do livro. O desafio, segundo a coreógrafa, que trabalha pela primeira vez com dramaturgia, foi adaptar uma história do século XIX, já transformada em ópera e balé, para o público contemporâneo.

Outro nome que desponta nessa perspectiva é o de Jaques Morelenbaum. Reconhecido internacionalmente por seu talento múltiplo como instrumentista, arranjador, compositor e produtor musical, iniciou sua carreira como integrante do grupo A Barca do Sol. Durante uma década, foi parceiro de Antônio Carlos Jobim em espetáculos e gravações que lhes valeram o Grammy pelo CD Antonio Brasileiro. Destacado violoncelista, estudou música no Brasil e no New England Conservatory of Music, onde frequentou as classes de Madaleine Foley, discípula direta de Pablo Casals.

Com uma grade de programação bem variada, o calendário de eventos dá ênfase à participação de grupos que nunca estiveram em São João del-Rei ou que aqui estiveram há muito tempo. “É o caso do Lume, do Barbatuques e dos mineiros do Luna Lunera, que têm uma pesquisa extensa na área cênica”, afirma Tibaji. Outro objetivo é descentralizar seus espetáculos, levando eventos de qualidade para os bairros mais distantes do centro da cidade.

Inscrições
O 24º Inverno Cultural da UFSJ acontece de 16 a 30 de julho. As inscrições começam no final de junho, e serão feitas no Saguão da Procuradoria Jurídica, Campus Santo Antônio, em São João del-Rei, no horário de 8h30 às 13h30. Dias 27 e 28 de junho, inscrevem as áreas de Arte-Educação e Especiais. As demais, de 29 de junho a 1º de julho. Candidatos de outras cidades podem se inscrever por fax.

A programação de eventos estará disponível no site www.invernocultural.ufsj.edu.br na primeira quinzena de junho. As oficinas já podem ser consultadas, com a possibilidade de localizar opções por faixa etária.

Mais informações: (32) 3379-2510.
(Fonte: Assessoria de Comunicação UFSJ - Campus Santo Antônio)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Sunset...

Que nesta quarta, o Sol ponha... deliciosamente... em sua alma, o calor do amor.

Quilting em destaque

Theo Shafke e Mimizu, projeto de Fritz Kuhn, quiltado por Theo 
Theo C. Schafke nasceu em Porto Alegre (RS), estudou música e concluiu o segundo grau em colégio marista.
Além de grande cinéfilo, encontrou na arte de retocar fotografias em preto e branco, o trabalho que exerceu durante anos.
Mais tarde, a curiosidade pelo patchwork mudaria completamente sua vida.
Dono de grande talento e com uma veia artística admirável, Theo, hoje é referência na arte de quiltar, recebendo vários prêmios em festivais do gênero.

Como você chegou ao "patchwork"?
Conheci o patch através de um amigo, já falecido. Fritz, outro grande amigo e eu, gostamos do gênero e fomos pesquisar.
Em algumas viagens pelo exterior conhecemos este universo maravilhoso, forte nos Estados Unidos.
Fizemos alguns trabalhos e acabamos gostando.

Há quanto tempo exerce a arte do quilting?
Há, mais ou menos, dezessete anos.

Por que a escolha pelo quilting?
Pela liberdade que ele propicia, enriquecendo os trabalhos em patchwork.
Fritz, hoje professor de técnicas em patchwork, idealiza, calcula as medidas, desenha e confecciona os projetos. Eu, apaixonado pela liberdade dos traços, complemento os projetos.

Esta é a sua profisão?
Hoje este é o meu sustento, quiltar. Estou sempre à disposição para atender aos amantes do quilting.

Você, referência no que faz, participa de vários eventos expondo seus magníficos trabalhos. Já recebestes alguma premiação?
Sim, ao longo do tempo recebemos várias premiações em festivais, principalmente no de Gramado (RS).

Qual a relação que você estabelece entre a arte  de quiltar e o seu emocional?
Para mim, quiltar é fazer desenhos criados pela mente, trocando o lápis pela agulha da máquina.

Projeto de Fritz Kuhn e quilting em linhas retas por Theo Shafke
Linhas perfeitas; premiado em Gramado (RS)
Para ver mais trabalhos confeccionados por Fritz e Theo, recomendo:
www.theoquilteiro.blogspot.com

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Campanha de obras literárias

Amigos
Iniciamos uma campanha para enriquecer bibliotecas de escolas da rede pública em São João del-Rei (MG).
Se desejar participar, envie um e-mail para rodelook@yahoo.com.br e receberá informações sobre envio. 
Agradeço seu carinho.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Pelos campi da UFSJ

Doutores por um triz

Dez anos do Doutores por um Triz


O Projeto de Extensão Doutores... Por um triz comemora dez anos de atuação. O grupo está em atividade desde maio de 2001 e é uma iniciativa do Departamento de Letras, Artes e Cultura (Delac) da UFSJ.
 O grupo se inspira no trabalho de Hunter Adams, que propõe modificações no tratamento médico pregando, sobretudo, a humanização no ambiente hospitalar via afeto, sendo este um meio facilitador da cura e promoção de saúde. A fundadora e coordenadora do projeto, professora Cláudia Braga (Delac) conta que, “após uma visita nossa, há uma recuperação significativa dos pacientes, tanto de adultos quanto de crianças.”

O grupo iniciou o trabalho, agindo em parceria com as instituições Albergue Santo Antônio (para idosos), Hospital das Mercês e Santa Casa de Misericórdia de São João del-Rei e sempre teve a preocupação de perguntar às instituições qual seria a melhor forma de intervenção.A coordenadora lembra que o Doutores teve muitas dificuldades no início, sem transporte e roupas para a caracterização, mas, em 2002 o Doutores...Por um triz se transformou num projeto de extensão e também conseguiu patrocínios na cidade, o que facilitou seu funcionamento.
Levando em conta que a cidade de São João del-Rei funciona como polo centralizador dos atendimentos médicos da região dos Campos das Vertentes, as visitas dos Doutores atendem, assim, à população de toda esta comunidade, composta de 21 municípios, e alcançando uma clientela de aproximadamente 400 pessoas por mês, entre crianças, adultos e idosos.

“Para trabalhar no projeto não há restrições de idade, sexo e não precisa ser estudante da UFSJ. Temos dois participantes da comunidade externa no momento. Quem se interessa em participar deste trabalho voluntário deve mandar um e-mail para o grupo”, informa Cláudia Braga. O endereço eletrônico é outoresporumtriz@gmail.com. Os iniciantes passam por uma oficina uma vez por mês e assistem às intervenções do grupo por três meses, segurando uma plaquinha escrita “olhante”. O novato então passa pelo processo da construção do palhaço e começa a participar das atuações do grupo.

Segundo a professora, o projeto tem uma “característica flutuante”, já que muitos alunos do grupo se formam e vão embora, porém a participação de novos estudantes sempre acontece, e o grupo comemora seus dez anos ininterruptos.
O Doutores... Por um triz comemorará seus dez anos dia 21 de maio, às 18h na sala Inácio Zózimo de Castro, da Associação Comercial e Industrial de São João del- Rei (ACI del-Rei). Toda a comunidade está convidada para os parabéns.
(Fonte: Assessoria de Comunicação UFSJ - Campus Santo Antônio)

................................................................................................................ 


VII Encontro Mineiro de Engenharia de Produção


Entre 26 e 28 de maio, a UFSJ sedia o VII Encontro Mineiro de Engenharia de Produção (Emepro), que tem como tema Expansão com qualidade e interface com o mercado. O Emepro visa à divulgação do conteúdo das unidades curriculares do curso de Engenharia de Produção, de suas pesquisas e também do trabalho que está sendo feito nas universidades mineiras. “Para mim, foi uma surpresa. O convite partiu dos organizadores do Encontro, que começou em Juiz de Fora há sete anos”, comenta o professor Lincoln Cardoso Brandão, coordenador do curso de Engenharia de Produção da UFSJ.
O evento já passou por edições em Viçosa, Belo Horizonte, Ouro Preto e Coronel Fabriciano. “Acredito que fomos escolhidos justamente pelo fato de termos um curso novo, o que vai ajudar a divulgá-lo, uma vez que a UFSJ é uma universidade de credibilidade. É grande a possibilidade de ser um sucesso”, completa Lincoln.
Serão oferecidas palestras técnicas, mesas-redondas e minicursos, ministrados pelos alunos do Núcleo Mineiro de Estudantes de Engenharia de Produção (Numeep). A palestra de abertura será comandada pelo gerente de marketing da Ford, Ivan Nakano, que falará sobre o perfil do profissional da Engenharia de Produção e sua atuação no mercado.
Os artigos inscritos no congresso foram selecionados em função do tema, da pesquisa em desenvolvimento, e encaminhados para um especialista da área. Mais informações: www.emepro.org
Calouro
O curso de Engenharia de Produção, criado por negociação dos professores dos departamentos de Mecânica e de Administração, abriu a primeira turma em 2009, na esteira dos novos cursos implantados graças ao Reuni. A graduação, explica Lincoln, surgiu por uma necessidade dos estudantes de Engenharia Mecânica. “Ao se formarem, os alunos estavam trabalhando mais como administradores do que como engenheiros técnicos. A Engenharia de Produção dá ênfase também à preparação de gestores.” Por ser multidisciplinar, o curso conta com professores dos departamentos de Ciências Naturais, Matemática, Ciências Sociais e Psicologia. “A Engenharia de Produção na UFSJ é um curso calouro, que já nasceu com uma qualidade muito boa, por causa de laboratórios, de formação profissional, de recursos humanos”, avalia Lincoln.
(Fonte: Assessoria de Comunicação UFSJ - Campus Santo Antônio)
.......................................................................................

IV Encontro Mineiro de Análise do Discurso


De 25 a 27 de maio, a UFSJ sedia a quarta edição do Encontro Mineiro de Análise do Discurso (Emad), realização conjunta do Programa de Pós-Graduação em Letras e do Laboratório de Estudos Polifônicos, com apoio da Fapemig, da Coordenadoria do Curso de Letras e da Cultura Inglesa. O Emad dá sequência às atividades de intercâmbio da Associação Mineira dos Pesquisadores em Análise do Discurso (Ampadis) junto às instituições mineiras de ensino superior. Segundo o professor Cláudio Márcio, do Departamento de Letras (Delac), a ideia é debater as diferentes pesquisas feitas em Minas Gerais. Também tem por objetivo promover a divulgação e a reflexão crítica de objetos e temas específicos dos estudos discursivos em suas diferentes abordagens, fortalecendo parcerias regionais que contribuam para a projeção nacional desse campo de pesquisa.
Com o título Interfaces da análise do discurso em Minas Gerais, o IV Encontro se propõe a mapear e traçar o perfil dessas pesquisas no Estado, levando em conta seu caráter inter e multidisciplinar. “Todas as diferentes áreas da análise de discurso propõem metodologias interdisciplinares”, afirma Cláudio.
O evento conta com 150 inscritos das instituições mineiras UFSJ, UFMG, Cefet, PUC Minas, UFU, UFV e Ufop. Dylia Lysardo-Dias, professora do Delac, explica que as mesas serão divididas por instituição, com o intuito de mostrar o que cada uma está produzindo na área. “Queremos reunir os pesquisadores de fora para que possam não só integrar como produzir uma revisão critica dessa área.” A mesa da UFSJ vai apresentar assuntos ligados ao mestrado do grupo de pesquisa Linguística e Cultura. Dylia afirma que o Emad teve ótima repercussão na casa, com enorme procura dos alunos do mestrado de Letras e de outras áreas, para participarem como ouvintes no evento. “Os alunos querem participar para conhecer mais o assunto”, conta.
Cláudio considera o evento importante para a UFSJ, pois, além de proporcionar congregação entre professores, pesquisadores e estudantes de níveis e instituições variados, dá visibilidade à Universidade e espreita laços com outras instituições. O Emad contará com palestras, mesas-redondas e grupos de discussão sobre objetos e temas específicos do campo da Análise do Discurso. Mais informações sobre o evento: emadufsj@yahoo.com.br. Acompanhe a agenda em www.ufsj.edu.br/emad.
(Assessoria de Comunicação UFSJ - Campus Santo Antônio)

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Catedral de Nossa Senhora do Pilar

Catedral de Nossa Senhora do Pilar - São João del-Rei (MG)
Construída por volta de 1721, possui o frontispício neoclássico desenhado por Manoel Vitor de Jesus.
Seu interior assume características do barroco mineiro, com pinturas e talhas em ouro.
A capela-mor é adornada por guirlandas e pencas de flores, talhadas e rematadas por dois anjinhos.
Duas telas, importadas de Portugal em 1730, lembram o trabalho de Leonardo Da Vinci.
O sacrário tem a forma de globo terrestre, circundado pelos símbolos dos quatro evangelistas e outros ornamentos.
O teto da igreja, de autoria de Venâncio José do Espírito Santo, é considerado a maior superfície pintada do barroco mineiro.
Ao centro, um medalhão com a efígie da Virgem do Pilar, rodeada por nuvens, anjinhos, querubins e serafins.
 Entre estes, uma figura alada de traços femininos, com uma grinalda de flores, na qual o artista homenageou a esposa.
Nessa igreja, a comemoração mais importante é a Semana Santa. 
Mundialmente conhecida, a festividade resguarda um cerimonial de mais de duzentos anos.
(Baseado em texto de Antônio Gaio Sobrinho)

Torres da Matriz - Foto de Rafael Oliveira
Interior da Catedral
Medalhão pintado no teto, retratanto a Virgem do Pilar

Segunda-feira...

Só rindo!... e, sorrindo...

sábado, 14 de maio de 2011

E por falar em família...

Imagem retirada da net
Este é um tema que gosto muito de abordar... afinal, a vida na Terra se norteia através da família.
Dizem alguns que a família é "uma instituição falida"... mas, particularmente, não acredito...
Família não é só a casa e seus moradores... pais, filhos e outros...
É o sentimento mais puro e mais nobre que brota das nossas profundezas... admitamos ou não.
Analisando a vida na atualidade, observamos que a família se perdeu no redemoinho de ofertas e consumo.
Vivemos momentos em que o reduto doméstico se assemelha a frágil barco, em mar de ondas revoltas, conduzindo seus potenciais.
A família sofre os abalos de um momento histórico, em que se decidirá o fututro da sociedade humana.
Questiona-se a sobrevivência e a validade da mesma...
Pergunta-se se resistirá à velocidade das mudanças... se é fonte de todos os males ou retaguarda de todo bem.
Filhos cada vez mais exigentes... pais ocupadíssimos, querendo suprir a ausência através de mimos adquiridos em prateleiras.
O que observamos é uma insatisfação geral.
Os valores adquiridos outrora, com nossos familiares, dão lugar à modernidade e se abre um "vazio" onde vamos guardando a saudade daqueles tempos... organizadamente... afinal, precisamos acompanhar as normas ditadas pela sociedade atual...
As lembranças se fazem cada vez mais impactantes e nós, os pais, sentimos que já não damos conta do recado...
E os filhos??? 
Ah! Esses, após alcançarem a pré-adolescência... já se vão para suas vidas , indiferentes ao martírio que ocupa o raciocínio dos pais. 
Mas, acredito firmemente, que o homem do século XXI começa a se descobrir na qualidade de pessoa e que é ao seio da família que os filhos retornam...
É no insubstituível regaço materno, no clima do lar... de família... que encontram segurança para darem início à uma nova vida... 
Através da reestruturação global do comportamento humano, que o homem descobrirá a sua real natureza, iniciando uma nova era, se recompondo em bases de nova esperança...
Eu acredito na família.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

São João del-Rei Transparente











Agenda Cultural . Eventos em São João del Rei, Tiradentes e Região



Este é um lembrete de eventos que estão para acontecer, cadastrados na Agenda Cultural do portal São João del Rei Transparente.


Para visualizar a Agenda Cultural com todas as informações, inclusive o Arquivo de Eventos para pesquisas, acesse:


Eventos em São João del-Rei, Tiradentes e região

Eventos permanentes em São João del-Rei, Tiradentes e região

Eventos em outras localidades


Ajude-nos a divulgar tantas iniciativas importantes: encaminhe para amigos, imprima esta Agenda Cultural e a exponha em seu escritório, escolas, sala de trabalho etc.


Cadastre também o seu evento, curso, palestra e outras atividades culturais na sessão Contato.

Colabore com o aperfeiçoamento de nossa Agenda Cultural, conheça o nosso portal, participe!


saojoaodelreitransparente.com.br todos os direitos reservados

Projeto, pesquisa, organização e concepção: Alzira Agostini Haddad


Igreja do Rosário

Igreja do Rosário - A mais antiga de São João del-Rei
A igreja teve sua construção iniciada por volta de 1719, pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, primeiras a se instalarem no estado de Minas Gerais, mais precisamente em 1708, quando São João del-Rei ainda era arraial.
No ano de 1753, passou por uma remodelação tomando as atuais dimensões. Mais tarde, foi colocada uma única torre ao centro da fachada. Prestes a cair, esta foi derrubada e com a reforma a igreja recebeu duas torres quadrangulares. Isto aconteceu na década de 1930-1940, conferindo novo aspecto arquitetônico ao frontispício.
Torres quadrangulares

O interior da igreja é belíssimo, tendo ao lado esquerdo a sacristia e uma pequena capela onde se encontra sepultado o padre José Pedro da Costa Guimarães, idealizador da capela Sagrado Coração de Jesus, localizada à direita da capela-mor. 
A capela-mor é bem espaçosa e tem iluminação natural. Quatro janelas de forma ovalada, duas de cada lado, rasgadas nas paredes laterais, propiciam esta iluminação.
Em volutas, que se apoiam nas colunas, encontram-se quatro anjos de grande formato.
Um dossel junto ao forro, ladeado por cabeças de anjos alados, cobre uma grande coroa e um rosário rodeado de cinco querubins sobre nuvens que emitem raios dourados e dois anjos nas extremidades apontam para o conjunto. 
O teto do camarim do trono, um dos mais bem trabalhados e artísticos da cidade, tem ao centro uma rosácea na interseção das nervuras que se cruzam e pequenas rosáceas acham-se colocadas no interior dos triângulos formados por esses cruzamentos. Do alto dos degraus do trono, Nossa Senhora do Rosário domina e abençoa os fiéis, esculpida em dois blocos de madeira de lei... uma das mais belas obras de escultura existente na cidade, pela perfeição e singularidade dos traços.
Do lado esquerdo do templo, logo após a entrada, encontra-se a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes. A imagem da Santa foi adquirida em Paris e há alguns anos atrás, foi colocada ali, a imagem de Santa Bernadete, para completar o quadro da aparição
O templo possui três naves, sendo a do centro, mais ampla. As coxias são separadas por grades de madeira torneada, também conhecidas como balaustres.
Dois altares, de bonita talha, estão encostados na parede do arco do cruzeiro. Em cada altar, um anjo, sustentando em um dos braços um lado de cortina. Ao centro do arco, a estrela que guiou os três Reis Magos ao presépio de Belém e ao alto, o emblema da Venerável Arquiconfraria.
Dentro da abertura do retábulo, em um pequeno trono, está Nossa Senhora dos Remédios.
A mesa do altar-mor, tem uma abertura na parte inferior, onde é possível se ver a imagem do "Senhor Morto".
Várias outras imagens de santos, com suas representatividades, se encontram na Igreja do Rosário... a saber, São Lourenço , paramentado de diácono; São Vicente Ferrer; São Jacinto; São Benedito e Santo Antônio de Catalagirona, dois santos pretos muito venerados; Nossa Senhora de Fátima, esculpida em cedro por um artista portugues; Santo Tomás de Aquino; São Libório; Nossa Senhora Aparecida; São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Pregadores; Santa Catarina de Sena; São José e Nossa Senhora da Conceição
Os irmãos da Confraria usam hábito talar branco, dominicano, com capa preta e escapulário, desde 1866.
As principais festas realizadas nessa igreja e promovidas pela Confraria são, as novenas de Natal e as festividades do mês do Rosário. 
(Fonte: Igrejas de São João del-Rei, de Luiz de Melo Alvarenga)

Fachada da igreja do Rosário
Torre da igreja do Rosário e lampião

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Quinta Flower

Uma quinta bem mineira...
Repleta de sorrisos e longas conversas...

Sunset

Sempre haverá uma razão para continuarmos... acredite...
Uma quarta repleta de luz... é o meu desejo para ti...

Pelos campi da UFSJ

Macaúba
Projeto da UFSJ sobre biodiesel é aprovado pela Fapemig
O projeto “Preparação de Biocatalisadores Ativos e Termoestáveis de Lipases para a Síntese de Biodiesel de Oleaginosas do Cerrado Mineiro”, coordenado pelo professor do Bacharelado em Biossistemas, no Campus de Sete Lagoas, Adriano Aguiar Mendes, foi uma das 21 propostas aprovadas para subsídio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). O Edital 21/2010, de Apoio a Pesquisas sobre Mudanças Climáticas no Estado de Minas Gerais, é fruto de uma parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e destinará R$ 3,1 milhões aos projetos selecionados.
Graduado em Engenharia Industrial Química pela Universidade de São Paulo, Adriano atualmente leciona, também, para o curso de Engenharia de Alimentos. Seu projeto consiste no confinamento de lipases – enzimas que metabolizam as gorduras - em suportes sólidos para a produção de biodiesel a partir de oleaginosas do Cerrado Mineiro, como a Macaúba (foto), comum na região de Sete Lagoas. Sobre essa produção, Adriano diz que ainda pouco se fala. “A produção de biodiesel por biotransformação do óleo de Macaúba ainda é pouco reportada pela literatura especializada. Trabalhos de pesquisa nesta interface poderão abrir novas oportunidades de crescimento técnico e de formação de recursos humanos”. O professor contará com a participação de colegas do Campus Sete Lagoas, bolsistas da Iniciação Científica do Bacharelado, além de contribuições que virão de outras instituições de ensino, como a Escola de Engenharia da USP em Lorena (SP).
Com duração de 18 meses, este projeto é uma continuação da pesquisas já em andamento na Iniciação Científica, com enfoque na aplicação de enzimas na síntese de produtos de grande interesse industrial. Com ele, Adriano pretende “propor tecnologias limpas para a produção de biodiesel, catalisado pelas enzimas lipases na forma imobilizada. É esperado contribuir para o desenvolvimento de novas técnicas de preparação e estabilização de lipases, ampliando simultaneamente, o potencial de aplicação dessas enzimas em processos industriais”, esclarece Adriano
................................................................................................................

UFSJ sediará Encontro Mineiro de Engenharia de Produção
Com o slogan Expansão com Qualidade e Interface com o Mercado, acontece, no período de 26 a 28 de maio, em São João del Rei, o VII Encontro Mineiro de Engenharia de Produção (Emepro). O evento visa à divulgação do conteúdo das unidades curriculares do curso de Engenharia de Produção, de suas pesquisas e também do trabalho que está sendo feito nas universidades mineiras.
“Para mim foi uma surpresa. O convite partiu dos organizadores do Encontro, que começou em Juiz de Fora há sete anos”, comenta o professor Lincoln Cardoso Brandão, coordenador do curso de Engenharia de Produção da UFSJ. O evento, que inicialmente teve 15 trabalhos publicados, já passou por edições em Viçosa (2006-2009), Belo Horizonte (2007), Ouro Preto (2008), e Coronel Fabriciano (2010). “Acredito que fomos escolhidos justamente pelo fato de termos um curso novo, o que vai ajudar a divulgá-lo, uma vez que a UFSJ é uma universidade de credibilidade. É grande a possibilidade de ser um sucesso”, completa.
Serão oferecidas palestras técnicas, mesas-redondas e minicursos, ministrados pelos próprios alunos do Núcleo Mineiro de Estudantes de Engenharia de Produção (Numeep). A palestra de abertura será comandada pelo gerente de marketing da Ford, Ivan Nakano, que falará sobre o perfil do profissional da Engenharia de Produção e sua atuação no mercado. Durante a programação, esse ponto de vista também será abordado por Antonio Izaias Faria Jr., ex-aluno de Engenharia Mecânica da UFSJ, atualmente na Gerdau Açominas.
Os artigos inscritos no congresso foram selecionados em função do tema, da pesquisa em desenvolvimento, e encaminhados para um especialista da área.

Calouro
O curso de Engenharia de Produção, criado por uma negociação dos professores dos departamentos de Mecânica e de Administração, abriu a primeira turma em 2009, na esteira dos novos cursos implantados graças ao Reuni. O curso, explica Lincoln, surgiu por uma necessidade dos alunos de Engenharia Mecânica. “Ao se formarem, nossos alunos estavam trabalhando mais como administradores do que como engenheiros técnicos. A Engenharia de Produção dá ênfase também à preparação de gestores”.
Por ser multidisciplinar, o curso conta com professores dos departamentos de Ciências Naturais, Matemática, Ciências Sociais e Psicologia. “A Engenharia de Produção na UFSJ é um curso calouro, que já nasceu com uma qualidade muito boa, por causa de laboratórios, de formação profissional, de recursos humanos”, avalia Lincoln.
(Fonte: Assessoria de Comunicação  da UFSJ)

terça-feira, 10 de maio de 2011

Homeopatia em destaque...

 Doutor Eduardo Martins


Há vinte e cinco anos cuidando da saúde com extremada dedicação, o doutor Eduardo é o símbolo dos médicos de família, tão costumeiros no passado. 
Considerado pelos clientes como “o próprio medicamento”, é comum ouvirmos: “Ah! Doutor... só em vê-lo já me sinto bem melhor”.

Formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), especializou-se em medicina intensiva, somando, de maneira ímpar, ao quadro clínico da Santa Casa da Misericórdia de São João Del-Rei (MG).

Mas, algo o mantinha firmemente na tese do “Similia Similibus Curantur”, ou seja... “Semelhante Cura Semelhante”... e optou pela Homeopatia.

Doutor Eduardo, porque a opção pela Homeopatia?
Por se tratar de um modelo terapêutico que tem a visão do Homem como um ser integral, indivisível. Na Homeopatia consideramos os aspectos físicos e psíquicos/emocionais de cada indivíduo. Além da visão holística, é um tratamento que visa a cura e não simplesmente a remissão de sintomas, com pouquíssimos efeitos colaterais.

Algumas pessoas dizem que a Homeopatia é uma "medicina alternativa". Este termo é correto?
Hoje, a Homeopatia é considerada "medicina complementar", porque vem acrescentar mais uma opção ao arsenal terapêutico disponível. Alternativa transmite a ideia de opção: uma ou outra; a Homeopatia vem somar, completar. Pode-se tratar um hipertenso ou diabético com os medicamentos tradicionais (ditos alopáticos) junto com Homeopatia. Em 2006 o Ministério da Saúde editou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde (SUS), publicada na forma das Portarias Ministeriais nº 971 em 03 de maio de 2006, e nº 1.600, de 17 de julho de 2006. Essa Política visa a implantação da Homeopatia, Acupuntura, Fitoterapia e outras práticas complementares no SUS.

O senhor encontra, ou encontrou, alguma dificuldade na aceitação da mesma?
Hoje quase não há dificuldade na aceitação, mas no início, há 25 anos, existia muita falta de informação e preconceito. O preconceito ainda existe, mas os  bons resultados e a publicação de vários trabalhos científicos estão mudando esse cenário.

É comum ouvirmos “não me trato com Homeopatia, pois a melhora só chega após longo período de tratamento”. Até que ponto esta frase é verdadeira?
Não é verdadeira. O tempo para se obter a melhora ou a cura depende de vários fatores: tempo de evolução da doença, capacidade do paciente reagir ao medicamento, escolha do medicamento e da dosagem ideais, etc. Geralmente a melhora acontece rápido nas doenças agudas, podendo demorar  mais nas doenças crônicas. Pacientes muito debilitados também podem demorar mais para responder ao tratamento. Em casos agudos, o resultado costuma ser mais rápido que o tratamento alopático.

Quais os casos em que a Homeopatia não produz efeito?
Precisamos lembrar que a Homeopatia é um tratamento clínico, portanto a maior parte das doenças com  indicação cirúrgica, principalmente de urgência, não podem ser tratadas com Homeopatia. Exemplos são os casos de apendicite, hérnia de disco, colecistite por litíase biliar("pedra na vesícula"), entre outras. Porém, mesmo doenças consideradas agudas podem ser tratadas com Homeopatia: amigdalites, sinusites, pneumonias, infecções do trato urinário, gastrites, dermatites, rinites, etc.

Pessoas podem se auto-medicar com Homeopatia?
Não é conveniente, porque existem efeitos colaterais e contraindicações. A Homeopatia é especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, desde 1980, portanto, só pode ser exercida por profissional médico ou odontólogo ou veterinário. O uso incorreto do medicamento pode provocar danos à saúde

Em Homeopatia, o que significa "dinamização"?
A dinamização é o processo de fabricação do medicamento, através de sucessivas diluições seguidas de movimentos denominados sucussões. Existem 3  escalas de dinamizações: decimal, centesimal e cinquenta milesimal. Por meio da dinamização a substância bruta manifesta suas propriedades terapêuticas.

Qual a diferença entre Homeopatia e remédios da flora?
Os medicamentos da flora são fitoterápicos, produtos obtidos de plantas medicinais, utilizando o princípio ativo de cada planta. O princípio ativo da planta pode ser extraído por diversas maneiras: chás, infusões, cremes, xaropes, etc. Diversas partes da planta podem ser utilizadas, dependendo do efeito desejado: raiz, casca, flores, folhas ou frutos. Os medicamentos homeopáticos podem ser obtidos dos 3 reinos: animal, vegetal ou mineral. São dispensados em forma de glóbulos ,  tabletes, ou líquido (solução hidroalcoólica). Não existem medicamentos homeopáticos em cápsulas.

A Homeopatia pode curar?
Sim, esse é o ideal da prática médica. Não basta a remissão dos sintomas, buscamos a real cura da doença, visando o equilíbrio do paciente e a erradicação da causa da patologia.

O que o aproximou dos pensamentos de Hahnemann, o criador da Homeopatia?
O desejo de entender e cuidar do ser humano como um conjunto de corpo, mente e espírito. Não queria cuidar só de um estômago, só de um coração, só de um pulmão, só da pele de um paciente. Somente a Homeopatia me permitiu compreender a dinâmica do adoecer e curar. A Homeopatia me permite tratar doentes, e não doenças. Me possibilita restabelecer a saúde do paciente, numa visão integral do ser humano.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Lindas Gerais é carbono neutro


O que é ser "carbono neutro"???

Muito se tem falado de "aquecimento global", pauta diária quase obrigatória dos veículos de comunicação, mas, acredito que a maioria das pessoas não compreendem seu real significado.
Ouvimos, também, frases como: "o mundo está mudando"; "invernos mais quentes e verões de noites frias".
É verdade. Temos que admitir alguma modificação nas estações.
Essas variações climáticas acontecem por causa do acúmulo de gases que causam o "efeito estufa", responsável pelo aquecimento global.
Espécies da flora, da fauna e até o homem, sofrem efeitos catastróficos.
Cada um de nós é responsável, diariamente, por essas emissões devastadoras... ao fumarmos um cigarro, ao dirigirmos nossos veículos, quando consumimos energia elétrica de maneira irresponsável, no lixo que produzimos.
Os prognósticos para o futuro do planeta são os mais sombrios, segundo estudiosos.
Há tempos, ambientalistas vem promovendo a conscientização sobre a importância da preservação.
Idéia genial!
Já ouvimos falar que "a união faz a força"... então, fica a dica: sejamos carbono neutro.
Mas, o que é ser carbono neutro?
É sermos contribuintes da causa removendo as emissões de gases que prejudicam a atmosfera.
O plantio de árvores, a utilização de sabões biodegradáveis, a reciclagem do lixo de nossas casas, usar menos energia, dar preferência a compra de produtos ou serviços carbono neutro (alguns possuem selo na embalagem ou fazem a descrição da postura), substituir os plásticos por embalagens reutilizáveis... e por aí vai... nos tornam "carbono neutro".
Se cada um fizer a sua pequenina parte, poderá ficar em paz com a natureza.
Eu estou fazendo a minha... e você???

O que acontece pelos campi da UFSJ

Campus dona Lindu

O prefeito de Divinópolis, Vadmir Azevedo, assinou, na manhã desta quinta-feira,5, decreto que torna de utilidade pública uma área de 40 mil metros quadrados, que fica próxima ao campus Centro-Oeste Dona Lindu. A solenidade de assinatura aconteceu no anfiteatro do Campus e contou com as presenças do reitor Helvécio Luiz Reis, da vice-reitora Valéria Kemp, e do diretor do Campus, professor Eduardo Sérgio Silva.
O decreto torna de utilidade pública um terreno de mais de 40 mil metros quadrados para o projeto de ampliação do campus. De acordo com o assessor de governo João Luiz de Oliveira, a assinatura do decreto foi feita a partir de um pedido feito pela UFSJ no final do ano passado. “O Prefeito Vladimir Azevedo fez a análise do pedido e rapidamente determinou que fosse feito o estudo para que a área fosse transformada em terreno de utilidade pública”, reafirmou.
Ainda de acordo com João Luiz, o terreno será utilizado para a execução do Plano diretor de Expansão da Universidade Federal.
Durante a cerimônia, a pró-reitora de Planejamento, Neyla Lourdes Bello, apresentou o plano diretor do Campus Dona Lindu.
(Com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Divinópolis)
Fonte: Assessoria de Comunicação da UFSJ

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Um pouco mais de São João del-Rei


Igreja de São Francisco de Assis
Igreja de São Francisco de Assis e Igreja das Mercês, em baixo e à esquerda... bem pequenininha...

Fundada em 1749 e reformada em 1772 pela Ordem Terceira Franciscana, é um dos mais belos trabalhos do Barroco Mineiro.
O projeto original é do mestre Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, hoje em exposição no Museu da Inconfidência de Ouro Preto.
Para a sua execução, foi contratado o mestre Farncisco de Lima Cerqueira, que modificou o projeto das torres, da nave e o arco do cruzeiro.
A nave possui uma ondulação convexa e as torres são um pouco mais recuadas que a fachada, na qual se encontra a portada principal, feita por Aleijadinho.
Sob o arco da porta, olhando de baixo para cima, é possivel observar uma cabeça de Cristo esculpida.
Nos trabalhos de talhas observa-se a graciosidade do rococó e o douramento do interior destaca o altar-mor, ricamente adornado por um lustre de cristais Bacarat.
O resultado, foi a edificação de um dos mais belos cartões postais da cidade.